Deus existe? Então por que... (A Bíblia para Mim 13)

Este texto foi pensado e produzido para o podcast A Bíblia para Mim, episódio 13. Você pode ouvi-no no site (abibliaparamim.antoine.com.br) ou no seu programa de podcasts, buscando por A Bíblia para Mim.

*

13. Deus existe? Então por que...

Você é uma daquelas pessoas que pergunta: “Como Deus permite a violência, a fome, doenças como o câncer e a ebola...?”? Então fique atento aqui comigo, porque eu vou concordar com você.

Há quem pergunte: “Se Deus existe, como é que crianças indefesas são estupradas; pessoas morrem em tsunamis, terremotos; existem guerras entre pessoas e países ditos religiosos?”. Quem pergunta tal pode estar debochando de quem crê, mas, talvez, seja uma pessoa com um questionamento sincero e honesto, ansiosa por ouvir uma resposta, se houver. Não há uma, nem uma questão fundamental sobre a vida humana que a Bíblia deixe sem clara resposta.

Nada foi ruim em toda a criação de Deus. Tudo o que Deus criou é bom: “E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom” (Gn 1:31). Assim é até hoje: tudo que Deus faz é — não somente bom, mas, conforme a sua vontade, — bom, perfeito e agradável (Rm 12:2). Agradável significa aquilo que produz agrado, portanto, que pode ser percebido, apreciado, como bom. A questão é: por quem? Quem pode degustar a vontade de Deus e gostar dela?

Sabemos que Adão e Eva recusaram a vontade de Deus em suas vidas, portanto, não podem atribuir a ele nenhuma falha pelas dores e aflições que sofreram com essa decisão. Assim como todo aquele — e toda aquela — que desobedece a vontade de Deus, eles só podem culpar a si mesmos pelo erro e pelo mal em suas vidas.

Ao contrário desses, existem centenas, ou milhares de milhares, que não foram rebeldes contra Deus. Estes receberam a vontade de Deus e deixaram na história o seu testemunho de que Deus é bom. Menina estuprada por ser de Cristo: “Deus é bom”. Mulher esfaqueada pelo testemunho de Cristo: “Deus é bom”. Idoso preso por, em nome de Jesus, abrigar judeus e livrá-los da morte nazista: “Deus é bom”. Expulso de casa pelos próprios pais por ter recebido a Jesus Cristo: “Deus é bom”. Desempregado por se recusar a participar das mentiras na empresa: “Deus é bom”! A Bíblia é o relato mais autoritativo de justos que sofreram por sua justiça, sem terem se desviado da fé no único Deus verdadeiro, pelo contrário, tendo-a fortalecida, desde Jó, Zacarias, filho de Baraquias, e profetas que foram torturados, mortos, até apóstolos [que tiveram suas mortes relatadas na história extrabíblica] e demais discípulos do Senhor Jesus. José, vendido como escravo pelos irmãos, preso injustamente por sua fidelidade a Deus, viu nisso a mão do bom Deus; foram duros planos, demorados para quem olha para o relógio e o calendário, mas bom planos no tempo certo.

Deus é todo poderoso, não é? Ele se apresenta como Todo-Poderoso, significando que ele tem todo o poder. Ele não precisa fazer nenhum esforço para nada, não há nada que lhe seja muito difícil. Ele pode destruir sua criação com a mesma facilidade com que a fez, mas não é esse seu plano agora. A terra e os céus se desfarão em fogo, completamente, mas há um momento certo no plano de Deus para isso acontecer e, por seu amor e misericórdia, não é agora. Ele dá plena chance a cada ser humano de se livrar desse terrível dia, o dia do Senhor (2ª Pedro 3:-12).

Deus permite que suas criaturas sejam livres!, e isso leva muitos a praticar o mal e a cair no mal. Deus também executa planos perfeitos e bons que, por nossa fraqueza ou por nossa maldade no coração, não conseguimos perceber como agradáveis. Mas isso não tira, de jeito nenhum, o fato de que tudo que Deus quer, e tudo que Deus faz, é muito bom e só gera o bem. Continuar rebelde contra o Deus da Bíblia, o Deus verdadeiro, impede qualquer um de enxergar isso, mas você e eu podemos recebê-lo, praticar a confiança em sua palavra, e ver a sua boa mão em nosso caminho, assim como José viu.

Despeço-me de você em nome de Jesus.

Comentários

Mais lidos ultimamente

Doença da Eritreia

Em ordem de gostosidade

Zaqueu e João o Batista, Homens de Valor